IMPLANTES HORMONAIS: O GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO

implantes-hormonais-o-guia - 1280

É bem capaz de você já ter ouvido falar de implante hormonal, mas muitas mulheres não têm a mínima ideia do que se trata porque ainda é muito pouco falado.

Então, hoje, você vai aprender ABSOLUTAMENTE tudo sobre implantes hormonais: o que é, para que serve, quando é indicado, quais os tipos que existem, efeitos colaterais, enfim, um guia absolutamente completo.

E no final, vai saber quais são as situações e porque que eu recomendo, sempre pensando na saúde da mulher e na sua qualidade de vida.

Um pouco da história do implante hormonal: Elsimar Coutinho

Antes de lhe contar sobre os implantes hormonais, vale a pena conhecer um pouco da história dos implantes e, principalmente, vou lhe contar porque fiquei tão encantada.

Então, eu vou lhe contar a história do meu professor de implantes, que é uma marca registrada e uma referência quando se fala desse assunto, que é o Dr. Elsimar Coutinho.

Talvez você até já o conheça, mas quero lhe falar um pouquinho mais da sua história.

Ele começou a vida profissional como farmacêutico, depois se tornou médico e hoje, com quase 90 anos, continua sendo um profundo pesquisador.

E qual é o foco da sua pesquisa? Ele estuda hormônios, pensando em beneficiar a saúde feminina.

Só para você ter uma ideia, quando eu ainda estava na faculdade, ele lançou um livro muito polêmico, mas que continua polêmico até hoje, chamado de Menstruação: Uma Sangria Inútil.

Esse livro demonstra o comprometimento dele conosco, mulheres, com você!

E quer saber por que fiquei tão encantada? Porque eu vejo resultados das mulheres tratadas com implantes. E é por isso que estou aqui: Para contar para você tudo sobre implante hormonal.

O que é implante ‘chip’ hormonal?

Agora que você já sabe de onde vem o meu encantamento por implantes, vou lhe explicar o que é.

São tubetes de silicone, bem pequenos, medindo de 4 a 5 cm, onde dentro deles é colocado o hormônio, que é programado para ser liberado de forma gradativa no seu corpo no intervalo de 6 meses a 1 ano, dependendo do tipo do hormônio.

O ‘chip’ hormonal é colocado embaixo da sua pele, geralmente na região glútea, na parte externa superior lateral.

Não precisa se preocupar porque é indolor, sob anestesia local e o procedimento é feito no próprio consultório médico, com todas as condições de assepsia e antissepsia.

Na maior parte das vezes, quem faz a colocação dos implantes é o médico ginecologista acostumado com este tipo de procedimento. Ele é quem vai calcular a quantidade de implantes, mas em média, são 5 ou 6.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Para que serve o implante hormonal?

O implante hormonal serve para tratar muitas coisas, tendo muitas indicações.

Dependendo do tipo de hormônio, ele serve para:

Viu para quantas coisas ele serve?

Além disso, ele repõe o hormônio que a mulher precisa e muitas vezes, faz o bloqueio hormonal no seu corpo daqueles que estão desregulados.

E é exatamente por isso que considero os implantes hormonais tão encantadores, isto é, ter essas substâncias programadas para que o nosso corpo entre em funcionamento.

Falando em funcionamento, vale lembrar que trata também de dor mamária e TPM. Ou seja, trata uma infinidade de coisas. Basicamente, trata de grande parte de doenças ginecológicas que a mulher apresenta em decorrência de flutuações hormonais.

Esses desequilíbrios hormonais podem aparecer desde muito jovem, como na adolescência, quando a mulher está tendo muita cólica menstrual e sangrando muito.

Mas também numa idade mais madura, em torno dos 35 anos, quando a mulher está tendo TPM ou ainda por volta dos 50 anos, quando ela está na menopausa.

Fora isso, todas as patologias que eu citei são doenças que muitas vezes comprometem a fertilidade e a vida sexual da mulher. E onde o tratamento com implante ‘chip’ hormonal é realmente apaixonante!

Diferenças entre os tipos de implantes hormonais

Conheça agora os 5 tipos de implantes hormonais:

Testosterona:

Muito usado no declínio hormonal que acontece na menopausa.

Estrogênio:

Também usado para repor os hormônios que a mulher precisa na menopausa.

Nestorone:

Trata a endometriose e é usado como método anticoncepcional.

Gestrinona:

Trata diversas patologias ginecológicas. Essa substância faz um bloqueio hormonal, deixando a mulher estável hormonalmente. Paralelamente, acaba lhe trazendo outros benefícios que eu já vou lhe contar.

Nomegestrel:

É só um método anticoncepcional.

Então, você viu que são cinco as substâncias que podem ser colocadas na região subcutânea e como eu já lhe falei, o procedimento é feito no próprio consultório médico, sob anestesia local.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

O implante ‘chip’ hormonal e os hormônios bioidênticos

Antes de mais nada, o que são hormônios bioidênticos? São substâncias produzidas pela indústria, mas a molécula é igualzinha à nossa.

Então, tem implante hormonal que é hormônio bioidêntico? Tem, a testosterona e o estradiol.

Mas tem também os que não são bioidênticos e têm excelentes indicações, como é o caso da gestrinona e o nestorone.

Atenta aos efeitos colaterais dos implantes hormonais!

Os implantes hormonais têm muitos benefícios, desde que seja escolhida a quantidade e o tipo de implante ideal para o seu caso.

Mas também podem apresentar algumas desvantagens e efeitos colaterais, mas que podem ser perfeitamente gerenciados.

Vamos ver agora alguns desses efeitos colaterais? Só lembrando que não vamos ver de todos, mas daqueles que têm uma ação mais androgênica. Quais seriam?

Principalmente a gestrinona, que funciona para muitas coisas, como também o nesterone.

Mas a mulher não vai ter efeito colateral se tiver na dose fisiológica correta para o seu problema, e nesses casos, os hormônios são a testosterona e o estrogênio.

Na verdade, os efeitos adversos podem sim surgir, mas é bom deixar bem claro que podem ser gerenciados da melhor forma possível.

E quais são esses efeitos?

  • Acne
  • Oleosidade na pele
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquido (aumento de peso)

Tudo isso é possível controlar, basta você ter uma orientação adequada do médico que está fazendo o seu acompanhamento.

Daqueles tipos que eu citei, o nestorone pode diminuir a libido, podendo causar sangramento irregular nos seis primeiros meses.

As adolescentes usam muito o nestorone para tratar justamente de sangramento anormal, mas saiba que trata também de endometriose, servindo inclusive como método anticoncepcional.

No caso do nestorone, não tem os mesmos efeitos colaterais que a gestrinona causa, como acne, oleosidade na pele e queda de cabelo.

Paralelamente, a gestrinona traz mais efeitos colaterais ou pode ter mais se compararmos ao nesterone, mas também ela aumenta a libido e sua massa muscular.

O que toda mulher precisa saber é a parte boa e a ruim de cada implante hormonal.  Assim, vai ajudar na hora da escolha.

O seu médico vai esclarecer todas as suas dúvidas, selecionando qual é bom ou não, dependendo do seu problema.

Por exemplo, a mulher que quer tratar endometriose, apresenta dor na relação ou está sangrando muito fora do período da menstruação. O médico poderia escolher o nestorone ou a gestrinona, mas ele vai avaliar o que ele quer melhorar, talvez sua libido ou massa muscular.

Os implantes não funcionam da mesma forma para todas as mulheres. Por isso que cabe ao profissional habilitado a fazer uma escolha adequada para que a mulher tenha todos os benefícios.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Conheça as vantagens dos implantes hormonais

Uma das grandes vantagens é que a mulher não precisa ficar se passando, não tem que ficar tomando nada e nem se picando, além de não correr o risco de se esquecer.

Ele já fica ali, embaixo da sua pele, podendo durar 6 meses, no caso do nestorone, ou a gestrinona, a testosterona, o estrogênio ou o nemogestrel que duram mais tempo, em média 1 ano.

A única preocupação que a mulher vai ter é a troca do implante daqui a 6 meses ou 1 ano.

O que vai acontecer? Durante esse período, a mulher vai ficar tranquila, pois sabe que todos os seus problemas estão sendo tratados.

Além disso, a liberação é constante, ou seja, quando você toma alguma coisa para tratar qualquer coisa pensando em doenças ginecológicas, por exemplo, por via oral, tem interferência no intestino, sofre passagem pelo fígado e causa outros efeitos adversos.

Ou caso faça uso de medicamentos, os remédios via oral podem interferir nos seus efeitos.

Por exemplo, pensando como método anticoncepcional, de repente, pode diminuir a eficácia do seu anticoncepcional.

E com o implante hormonal, a mulher não vai ter esse tipo de problema, porque ele não passa pelo seu fígado.

Em relação aos implantes, citando os da gestrinona, nestorone ou nemogestrel, a mulher vai ter um método contraceptivo constante, mantendo os seus hormônios em níveis equilibrados.

Falando da menopausa e climatério, a constância hormonal significa trazer de volta a vida para a mulher. Por que?

Porque nessa fase os hormônios deixam de ser produzidos, trazendo uma série de manifestações muito desconfortáveis. Só para citar algumas: calorão, ressecamento vaginal e diminuição da libido.

Resumindo, a mulher vai estar repondo o que seu corpo está precisando.

Custa caro?

Atualmente, o preço, dependendo do tipo e da quantidade de implante hormonal que se vai colocar, pode ser até considerado uma desvantagem para algumas mulheres.

Por outro lado, dependendo do que a mulher precisa, pode ser um investimento valioso. Se parar para pensar quantas coisas vai ser possível tratar e como sua qualidade de vida vai dar um salto, vale muito a pena o investimento.

Lembre que vai existir um preço médio, mas é necessário buscar por um médico que tenha conhecimento e que possa selecionar o melhor implante, com a dose adequada para o seu caso.

Também falando em preço, é possível negociar um valor que considere justo. Converse com o profissional e avalie junto com ele todas as suas vantagens e desvantagens.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Quando recomendo o uso dos implantes hormonais?

Eu recomendo em muitas situações. Inclusive eu tenho muitos artigos falando especificamente de tudo o que o implante hormonal trata, um a um, em detalhes.

Mas hoje, vou dar uma resumida para você ter uma ideia melhor:

Tratamento da Endometriose e Adenomiose

Acontece quando as células da camada do útero se implantam no útero (endometriose) ou fora dele (adenomiose), causando inflamação crônica persistente.

A mulher pode ter dor na relação, aumento da cólica menstrual, sangramento uterino anormal e aumentado.

No caso da endometriose, pode levar a mulher à infertilidade e causar alterações no intestino.

Toda mulher precisa ter consciência que a endometriose é algo muito sério. E se existe  a opção de tratar tanto com a gestrinona como com o nestorone, ela precisa saber que esse tratamento está disponível.

Lembrando mais uma vez que se você se encaixa em uma dessas situações, busque por um profissional para cuidar da sua saúde da melhor forma possível.

Tratamento de miomas uterinos

Os miomas uterinos e pólipos são nódulos considerados benignos, mas que podem dar sangramento e cólica.

No caso dos miomas, dependendo do tamanho, pode dar aumento do volume abdominal ou dependendo de onde estiverem localizados, podem causar abortamento ou dificuldade para engravidar.

Da mesma forma que a endometriose leva à infertilidade, o mioma ou pólipo dentro do útero pode funcionar até como um método abortivo.

TPM

Você sabia que a TPM, tensão pré-menstrual, atinge cerca de 2/3 das mulheres? E são tantos os sintomas: a mulher fica irritada, inchada, não dorme direito, fica compulsiva por doces e muitos outros.

Pense que o implante hormonal é um método que pode bloquear seus hormônios e dar a você toda a estabilidade hormonal, valendo muito a pena.

Além de amenizar uma série de sintomas, funciona também como método contraceptivo.

Menopausa

Pode usar a testosterona, o estrogênio ou em algumas situações, a gestrinona, porque essa substância protege o endométrio, a mama e melhora a massa óssea.

Vale lembrar que a menopausa vem acompanhada de uma série de manifestações um tanto desagradáveis, onde o implante além de minimizar todas elas, ajuda a prevenir de várias doenças.

Sangramento irregular e cólica menstrual

Os implantes ao fazerem um bloqueio hormonal, fazem com que seus hormônios entrem em equilíbrio, regulando seu ciclo menstrual e aliviando muito as suas cólicas.

Viu quantas coisas interessantes que o implante pode tratar?

Como eu já lhe disse, se você quer aprender mais sobre tudo isso, não deixe de dar uma olhada nos meus artigos, onde eu explico um por um.

De repente, o seu interesse é somente sobre cólica menstrual e tem um artigo onde falo somente sobre cólica menstrual. Você vai encontrar artigos para todos os problemas relacionados à saúde da mulher.

Conclusão

Pense como é interessante ter uma opção para tratar de várias doenças ginecológicas com o implante hormonal, desde que você encontre um profissional adequado que vai selecionar o melhor tipo, na dose certa.

Além disso, ele vai fazer o gerenciamento dos efeitos colaterais, para que a mulher tenha o mínimo de desconforto, tirando todas as suas dúvidas.

O que é importante ter em mente é que a mulher deve se conscientizar e entender que é possível resolver qualquer um dos problemas ginecológicos falados através de implantes hormonais.

Você viu que são muitos os implantes disponíveis e que podem trazer muitos benefícios para sua saúde, pois além da mulher parar de sentir todos aqueles sintomas desconfortantes, acaba prevenindo de uma série de doenças.

Basta encontrar um médico que possa fazer tudo isso por você!

Agora, talvez você não esteja passando por nenhum problema, mas conhece alguma amiga ou familiar que estão sofrendo com os sintomas da menopausa, da TPM ou endometriose.

Por que não compartilhar com elas tudo o que acabou de aprender aqui?

O que é bastante comum são mulheres que não buscam tratamento por mera falta de informação. Mas se souberem que não precisam mais conviver com problemas que estão afetando suas vidas, com certeza, irão lhe agradecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *