TRATAMENTO PARA MIOMA UTERINO COM IMPLANTE ‘CHIP’ HORMONAL DE GESTRINONA

tratamento-para-mioma-uterino-com-implante-hormonal-de-gestrinona - 1280

Você já tentou todos os tipos de tratamento para mioma uterino, mas nenhum deles funcionou?

Não sei se é o seu caso, mas mulheres ainda ficam muito preocupadas quando ouvem a palavra mioma. Porém, saiba que são tumores benignos e o melhor de tudo, que têm tratamento.

Então, é exatamente por isso que eu estou aqui. Além de explicar para você tudo sobre mioma no útero, quais os tipos que existem, vou lhe mostrar como pode resolver de uma maneira muito eficaz esse problema, que pode estar lhe trazendo tanto desconforto e preocupação.

O que é mioma uterino?

É importante você saber primeiro o que é mioma uterino, a fim de aprender a identificar se está ou não acontecendo na sua vida, inclusive afetando a sua saúde.

Não se assuste se ouvir a palavra fibroma uterino. Na verdade, significa a mesma coisa que mioma no útero.

Antes de mais nada, você sabia que miomas uterinos são muito comuns entre nós? Para você ter uma ideia, acontece em cerca de 30% das mulheres.

E a maior parte delas só acabam sabendo da existência por acaso, ou através de um exame ginecológico de rotina ou quando o médico ginecologista pede um ultrassom.

Isso acontece porque alguns dos miomas uterinos não apresentam nenhum tipo de sintoma, passando totalmente despercebidos.

Na verdade, muitas se assustam pois logo associam mioma a câncer. Mas trata-se de tumores benignos, não causam câncer e a boa notícia é que hoje existe tratamento para mioma uterino.

Os miomas podem ser definidos como massas de tecido que crescem na parede do útero, formando nódulos, podendo se manifestar de forma isolada ou em grupo.

E está relacionado a doenças chamadas de estrógeno dependentes. Mas o que isso significa?

Significa que o corpo está tendo um estímulo, ou seja, um estímulo dos seus próprios hormônios, que são os estrogênios, produzidos nos seus ovários, em uma quantidade acima do normal.

Tanto que na fase da menopausa, quando há um declínio na produção dos hormônios, a tendência é que os miomas diminuam ou até mesmo desapareçam.

Agora, durante a gravidez, os miomas podem aumentar, justamente pela maior predominância dos hormônios.

Muitas mulheres se queixam da mesma coisa: possuem uma vida saudável, fazem seus exames ginecológicos regulares e ficam surpresas quando o médico ginecologista lhes fala que estão com mioma no útero.

Então, se você está querendo saber o que causa tudo isso, saiba que ainda é uma interrogação. A causa ainda é desconhecida quando se trata de todas essas doenças estrógeno dependentes.

O que se sabe é que acontece um predomínio de estrogênio no corpo da mulher, pois os miomas uterinos possuem muito mais receptores de hormônios do que as células normais do útero.

E isso vale para mastalgia, que é dor na mama, para endometriose, adenomiose, como também para miomatose, isto é, mioma no útero.

Mas existem alguns fatores de risco que são a idade, o histórico familiar, a etnia e a obesidade.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Quais são os 4 tipos de miomas?

Para você entender melhor, imagine como se o útero fosse uma pera, como se os miomas estivessem distribuídos pelo corpo dessa pera.

Então, podemos diferenciar os tipos de miomas conforme a sua localização:

Mioma pediculado

Esse mioma pode aparecer tanto do lado de dentro como no de fora do útero. Ele se liga à parede do útero por meio de um pedículo.

Mioma intramural

Está localizado na massa do útero, ou seja, dentro da parede muscular.

Quando há o aumento do seu tamanho, pode causar um sangramento menstrual intenso e cólicas.

Mioma subseroso

Localiza-se na superfície do útero, na parte externa, crescendo para a parte de fora do útero.

Na maior parte das vezes, não causa incômodo, mas em alguns casos, a mulher pode sentir uma pressão na região pélvica.

Mioma submucoso

Esse tipo está localizado dentro do útero, na própria cavidade uterina, sendo o responsável pela maioria dos sintomas muito em razão da localização, que é no tecido que reveste o útero, que é o endométrio.

É o que está mais associado à infertilidade porque se situa no lugar onde o embrião se fixa.

A quantidade de miomas uterinos, sua localização, assim como o tamanho podem variar de mulher para mulher. Alguns podem medir alguns milímetros, enquanto outros podem atingir alguns centímetros.

O ponto em comum entre todos os miomas, é que eles alteram o útero. Eles possuem a característica de serem irrigados por vasos sanguíneos vindos do útero.

Assim, o sangue serve para nutrir esses miomas e mesmo sendo benignos, a tendência é que cresçam ao longo dos anos.

O que são nódulos miometriais?

Vamos entender melhor como é composto o útero para ficar mais claro o que são nódulos miometriais?

O útero é um órgão fibromuscular que tem o formato de uma pera invertida, estando localizado na região pélvica, sobre a vagina, entre a bexiga e o reto.

É composto por três camadas: a serosa, que é constituída pelo mesotélio e tecido conjuntivo; o miométrio, que é uma espessa camada de músculo liso e o endométrio, que é a parte mais interna.

Os nódulos miometriais se desenvolvem a partir dessas células do miométrio, estando localizados no meio do músculo uterino.

Podem ser também chamados de fibromas ou miomas intramurais, ou seja, estão localizados dentro da parede do útero.

Na maior parte das vezes, os sintomas surgem quando o mioma aumenta de tamanho, causando sangramentos e cólicas intensas.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Quais são os sintomas de miomas no útero?

Quando estão no começo, não apresentam muitos sintomas, mas quando o mioma começa a crescer, é bem provável que você comece a sentir alguns sintomas.

E dependendo de onde o mioma estiver localizado, você pode apresentar sintomas diferentes.

Se o mioma cresce muito, o volume do seu abdômen vai aumentar, podendo às vezes, causar uma sensação de pressão ou dor na parte inferior do abdômen.

Caso haja uma torção do mioma, você pode ter uma dor aguda. Só que você não faz ideia que essa dor foi causada porque o mioma torceu.

Muitas vezes, essa dor é confundida com cisto no ovário ou apendicite.

Quando o mioma torce, pode causar cólica menstrual e um sangramento intenso.

Além disso, se está na parte interna do útero, ele pode funcionar como um dispositivo e você corre o risco de abortar, caso esteja grávida.

Agora, quando os miomas estão em contato, por exemplo, com a bexiga ou o reto, os sintomas podem ser confundidos com aqueles de infecção urinária ou problemas gástricos.

É muito difícil os miomas se apresentarem no colo do útero. Mas, quando isso acontece, a mulher pode sentir dor durante a relação sexual devido ao contato do pênis com o mioma.

Como é o diagnóstico do mioma no útero?

O diagnóstico é feito pelo médico ginecologista. Ele vai fazer um exame clínico para detectar alguma anormalidade no seus ovários, trompas e útero. Dependendo do tamanho do mioma, com o simples exame de toque, ele consegue senti-lo.

Mas também pode indicar uma ultrassonografia transvaginal ou pélvica, a fim de visualizar melhor todos os órgãos internos.

Se ele quiser uma análise mais minuciosa, mais indicada para adolescentes e mulheres próximas da menopausa, ele pode solicitar uma ressonância magnética.

Depois de confirmado o diagnóstico, vocês devem conversar para decidir qual é o melhor tratamento para mioma uterino.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

O implante ‘chip’ hormonal de gestrinona serve como tratamento para mioma uterino?

Antes de eu falar para você qual é a proposta que considero especial para tratamento para mioma uterino e com um resultado muito eficaz, vale a pena você saber quais os outros tratamentos que existem:

Cirurgia:

O procedimento cirúrgico consiste na retirada só dos miomas, preservando o útero, que é chamado de miomectomia. É a cirurgia mais indicada, principalmente em mulheres jovens, que querem ainda ter filhos.

Entretanto, em casos mais extremos, os médicos podem indicar a retirada total do útero, chamada de histerectomia. A questão é que este tipo de cirurgia elimina qualquer possibilidade de gravidez.

A técnica escolhida para a cirurgia vai depender do tipo de mioma, da localização, do tamanho e da quantidade, mas geralmente é através da videolaparoscopia.

Embolização:

Essa técnica se dá através da introdução de um cateter dentro da artéria uterina, onde são injetados agentes que formam trombos, acarretando a parada da menstruação.

Anticoncepcional:

Alguns profissionais indicam o uso de um anticoncepcional via DIU, que libera hormônio, que em teoria pode controlar e funcionar para alguns casos, mas para outros não. O DIU permite reduzir a quantidade de fluxo menstrual.

Acontece que não dá para afirmar que esse tratamento vai resolver o problema, porque se você está tendo uma alteração que está sendo formada no seu corpo devido à predominância do estrogênio, se receber mais estrogênios pelos anticoncepcionais, talvez não seja a melhor opção.

Agora que você já entendeu o que é o mioma, que já sabe que é muito frequente nas mulheres, que causa muito desconforto e alguns tratamentos possíveis, qual será a melhor solução para o seu caso?

Vou voltar à minha proposta, que apesar de ser pouco falada e divulgada, eu considero muito interessante.

A solução para resolver o problema do seu mioma é o implante hormonal de gestrinona. É um tratamento para mioma uterino muito eficiente porque faz um bloqueio desses hormônios que estão causando tudo isso, deixando de estimular os estrogênios.

Mas qual é a finalidade?

Vai parar de ter o estímulo e assim, os miomas param de crescer e junto com isso, desaparecem todos aqueles sintomas desagradáveis, como as cólicas, os sangramentos intensos, porque na verdade, você para de menstruar.

E além de tudo isso, funciona como um método anticoncepcional, que é algo muito interessante.

Geralmente, quem coloca é o médico ginecologista, mas precisa estar habituado com esse tipo de procedimento.

O implante ‘chip’ hormonal funciona não apenas como tratamento para mioma uterino, mas também para:

Você não precisa se preocupar porque é totalmente indolor, sendo colocado no próprio consultório médico, sob anestesia local.

O local do corpo é a região glútea, na parte lateral superior, via subcutânea.

São tubetes de silicones bem pequenos e seu médico é quem vai calcular a quantidade que você precisa.

O ideal é tratar os miomas, principalmente se estão afetando a sua qualidade de vida. Lembrando também que alguns podem estar dificultando a gravidez na mulher.

Converse com seu médico e escolha a melhor opção para o seu caso. Mas pense sobre essa proposta que eu passei para você!

Conclusão

Agora que você já sabe tudo sobre mioma, acredito que vai ficar mais fácil de identificar se está ou não acontecendo com você.

Não se esqueça de fazer as consultas regulares com seu ginecologista, pois somente ele é capaz de detectar a presença de miomas, seja através de exames clínicos ou por meio de exames complementares, como o ultrassom.

Se você está tendo problemas com miomas, com todos esses sintomas que podem estar afetando o seu dia a dia, vale a pena conhecer um pouco mais sobre o implante como tratamento para mioma uterino.

De repente, já tentou todo tipo de tratamento e nenhum deles resolveu, pense que o implante pode ser uma resolução para todo esse desconforto.

Pense que você não precisa conviver com tudo isso, afetando inclusive a sua rotina diária. Procure por uma melhor qualidade de vida!

4 Comentários


  1. Ótimo artigo muito bem elaborado contiuarei a lhe seguir,Obrigado! Tudo de bom!

    Responder

    1. amei esse método com certeza vou conversar com minha ginecologista para entrar com esse tto. muito obrigada pelo esclarecimento.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *