ENDOMETRIOSE: CONHEÇA QUAIS OS SINAIS QUE DEVEM TE DEIXAR ATENTA

o que é endometriose
o que é endometriose

O assunto de hoje é nada mais nada menos que Endometriose. Você sabe o que é? Já ouviu falar? Você já teve?

Muitas vezes nós mulheres ouvimos falar em sintomas como cólicas menstruais intensas e achamos que é normal. No entanto, não só não é normal, como pode ser um dos sintomas da endometriose.

Algumas mulheres têm sintomas de cólicas menstruais na adolescência e acha que é comum nesta fase, mas não é. Dor na relação sexual profunda também não é  normal. Todos esses são sintomas que devemos ficar atentas, pois eles podem ter relação com a endometriose.

Se você tem alguma dúvida sobre a endometriose, hoje você terá a oportunidade de aprender sobre o que é a endometriose, quais são os sintomas, o que gera essa doença e qual é seu tratamento.

Muitas mulheres podem estar passando por esse problema em não têm nem consciência disso, portanto, continua comigo para você se informar e poder também informar outras mulheres sobre a endometriose e seus sintomas.

O que é endometriose?

De que forma, então, podemos definir a endometriose? A endometriose é a presença das células da cavidade do seu útero, denominada endométrio, do lado de fora, em torno do seu útero.

Pode estar na trompa, no ovário, no intestino, na bexiga e nas proximidades do útero. A endometriose também é encontrada em outros órgãos e até então os mecanismos envolvidos na etiologia ainda são uma incógnita.

Com isso, além dos órgãos femininos, mulher pode passar a ter queixas relacionadas a sintomas na bexiga, ou ao intestino, que são órgãos que podem ser afetados pela endometriose.

Então, quais os sintomas que a endometriose pode trazer para você? Várias são as opções porque, como vimos, ela pode invadir órgãos adjacentes, mas alguns dos sintomas que podemos citar são:

  • Cólicas Menstruais
  • Dor na relação sexual profunda
  • Dificuldade para engravidar
  • Sentir dor na hora de evacuar
  • Presença de sangue na urina
  • Desconforto para urinar (como se a pessoa estivesse com infecção urinária)
  • Alteração do trânsito intestinal (seja diarreia ou constipação)

A endometriose pode atingir mulheres na faixa etária entre 15 e 45 anos de idade. No entanto, mesmo que você já tenha passado dessa faixa etária, é importante saber e passar a informação adiante sobre endometriose e seus sintomas.

Você pode ter uma filha, uma sobrinha ou alguma mulher conhecida que pode estar passando por isso, sentindo ou não esses sintomas e tem a endometriose, mas ainda não sabe disso.

Algumas vezes a pessoa sente cólica constantemente, mas, mesmo assim, pode acreditar que isso é normal, que não é um problema. Contudo, como vimos, cólicas podem sim ser um sinal de endometriose.

Todas essas manifestações supracitadas são sinais que devemos ficar atentas e procurar um médico caso algum deles se manifeste.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

O que gera a endometriose?

A teoria mais aceita atualmente sobre o que gera a endometriose é o chamado fluxo menstrual retrógrado. O que seria isso?

Nós mulheres quando menstruamos o sangue sai pela vagina e também reflui pelas trompas. Só que 90% das mulheres podem ter esse refluxo pelas trompas e o sangue acaba caindo dentro da cavidade.

Nosso corpo tem que ter a habilidade de lidar com aquelas células que caíram ali, porém, não é isso que acontece com uma parte considerável das mulheres. O que acontece é que com a presença dessas células o corpo de alguns mulheres não consegue lidar e desencadeia uma reação inflamatória, por entender que aquilo não pertence àquele local.

Essa inflamação pode gerar dor, infertilidade, cólicas menstruais, alterações urinárias e intestinais que, como vimos, podem ser sinais e sintomas de endometriose.

Outra teoria da endometriose é o desequilíbrio hormonal, havendo uma dominância estrogênica. O nosso corpo tem a produção hormonal que vem do colesterol  que é produzido no fígado, que também é necessário para produzir além do cortisol, os hormônios sexuais.

Um desses hormônios produzidos é a progesterona. Nós mulheres produzimos a progesterona quando ovulamos. No nosso ciclo precisamos de estrógeno e de progesterona.

Se por alguma razão, a mulher tem ciclos anovulatórios como por exemplo estresse crônico, isso leva a um desequilíbrio hormonal, ou seja, há o predomínio do estrogênio e o déficit da progesterona, esse desequilíbrio hormonal pode levar a dominância estrogênica, estando diretamente relacionado com a endometriose. A endometriose é considerada a doença da mulher moderna, ou seja, da mulher que assume múltiplas tarefas, causando estresse e ansiedade.

Alguns dados que podemos trazer e que servem como alerta são:

  • 40% das mulheres que não engravidam podem ter endometriose.
  • 5 a 16% das mulheres que tem essa doença, não apresentam nenhum sintoma.

A endometriose pode se manifestar na mulher de forma leve, moderada ou grave. A pessoa pode ter muito mais sintomas ou muito menos sintomas e os chamados achados na pelve que também podem ser muitos ou não.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Como pode ser feito o diagnóstico da endometriose?

Quando o paciente vai até o médico com uma queixa de dor pélvica e outros sintomas, o médico pode suspeitar de endometriose. Além do exame clínico ele pode pedir um exame de ultrassom e pode também pedir uma ressonância da região pélvica. Isso vai depender do que ele achar necessário.

Dependendo do exame exame pode mostrar desde um cisto no ovário até áreas de infiltração em órgãos como o intestino.

Esses exames vão esclarecer se há endometriose e qual o nível de envolvimento da região pélvica. A partir de todos esses critérios ele vai decidir o melhor tratamento.

Em resumo, o diagnóstico irá levar em conta a avaliação clínica, que são as suas queixas de dor e outras que você sente, e também o resultado do exame que o seu médico solicitará. 

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Quais são as possibilidades de tratamento da endometriose?

Entrando agora nas possibilidades de tratamento para a endometriose, vai depender em cada caso. Uma das possibilidades de tratamento é a intervenção cirúrgica por meio de videolaparoscopia.  

Esse tipo de cirurgia atua retirando o cistos no ovário, caso ele exista ou cauterizando as lesões de endometriose caso elas existam. Além disso, é necessária a retirada das lesões para diagnóstico exato, porque o que exame de imagem aponta é uma provável endometriose e o estudo anátomo patológico confirma.

Feito a cirurgia, qual é o procedimento posterior? Uma possibilidade de tratamento é o bloqueio menstrual.

O bloqueio pode ser feito com anticoncepcional via oral a base de progestágenos  ou com o DIU de progestágeno também é uma opção. 

Um terceira  proposta de tratamento é o bloqueio menstrual  é o implante de gestrinona.

Para algumas mulheres, mesmo fazendo esse controle e tratamento, a endometriose se instala novamente, havendo a necessidade de uma orientação quanto ao seu estilo de vida que é um fator que afeta o sistema imunológica perpetuando a doença. 

médico ginecologista irá avaliar a melhor forma de segmento de acordo com as alternativas que ele trabalha. É importante que, além de seguir suas orientações, você se sinta à vontade com essa escolha e se sinta confortável com a forma que está fazendo o seu tratamento.

Ao falar de tratamento é fundamental lembrar que precisamos fazer a nossa parte melhorando nosso estilo de vida. Não só com relação à endometriose, mas os pilares da saúde valem para todas as doenças.

O que podemos fazer? Ter uma alimentação saudável, atividade física diária, sono reparador, gerenciamento de stress, cuidar da saúde mental.

O exercício físico traz inúmeros benefícios, como uma boa oxigenação celular, as células ficam bem nutridos e, consequentemente, melhora o seu sistema imunológico. Nutrientes como vitaminas e minerais são adquiridos por meio da boa alimentação, que é um dos pilares da saúde.

Como podemos ver, existem algumas possibilidades de tratamento. Para indicar o melhor para o seu caso, tem que ter uma avaliação clínica, avaliação de imagens, avaliação de exames laboratoriais e isso será feito pelo seu médico.

É importante ressaltar também que você precisa se sentir à vontade como a forma de tratamento. Ao mesmo tempo que devemos confiar na opinião médica, também temos que nos sentir bem com aquilo que está sendo feito. Afinal, diz respeito a nossa saúde.

Muitas mulheres que tem essa doença sentem dor, sentem incômodo e realmente sofrem com aquilo. Temos que entender que não precisamos passar por essa situação.

Nenhuma mulher tem que viver com esses sintomas. Existem opções de tratamento, então busque ajuda, busque uma consulta médica. Sentir dor não é normal, então procure um profissional que vai te auxiliar a ter uma melhor qualidade de vida e isso inclui não precisar sentir dor.

Espalhe a informação, pois, como vimos, de 5 a 16% das mulheres têm endometriose e nem sabem disso. Uma grande parcela delas acaba tendo a manifestação dos sintomas e não procura ajuda médica por achar que é normal.

Não se esqueça também de fazer sua parte, de focar nos pilares da saúde e fortalecer seu sistema imunológico.

Agora que já aprendemos sobre endometriose, aproveita e compartilha esse conteúdo com as suas amigas. Vamos divulgar a informação o máximo possível. Especialmente para as mulheres entre 15 e 45 anos. Te convido também a curtir e comentar se você tem alguma experiência com endometriose. Você já teve ou conhece alguém que teve? Como foi o tratamento? Compartilha com a gente! Aproveita e se inscreve no canal meu canal de youtube para acompanhar mais conteúdos como esse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *