COMO LIDAR COM AS DORES NAS MAMAS NA MENOPAUSA?

Aqui é o seu lugar de aprender o ABC da menopausa e hoje, vou falar sobre um sintoma que gera medo na mulher: as dores na mama.

Se algo dói é porque algo está errado e, assim, surgem inúmeras dúvidas e preocupações!

Logo, o maior de todos os temores é se pode ser um sinal de câncer.

Por isso, antes de iniciar, aproveite e compartilhe este conteúdo para que mais mulheres entendam tudo sobre esse sintoma tão incômodo!

COMO LIDAR COM AS DORES NAS MAMAS NA MENOPAUSA?

O que causa dor nas mamas e por quê? 

A dor nas mamas podem ser ocasionadas, basicamente por 2 tipos de fatores. Ou seja, fatores locais, que afetam a própria mama e fatores externos à elas. Veja abaixo:

Causas locais – mamárias

  • Desequilíbrio de hormônios (estrogênio e progesterona), TPM e climatério;
  • Terapia de reposição hormonal (TRH);
  • Cistos inflamados ou grandes;
  • Mastites;
  • Abscessos;
  • Volume excessivo;
  • Anticoncepcional.

Causas extra – mamárias

Tem relação com câncer de mama? Como saber se tem ou não?

Saiba que, na maioria das vezes, não há relação com o câncer de mama, pois esse tipo de câncer raramente dói.

Então, como saber se tem ou não tem câncer?

Para tanto, algumas estratégias para identificar o problema são:

  • Auto exame: que é uma forma de autoconhecimento e é simples de ser feito por você;
  • Exame clínico, realizado pelo médico ginecologista;
  • Mamografia: detecta cânceres precoces e microcalcificações;
  • Ultrassom: diferencia nódulo sólido de cisto e é importante no caso da mamas densas. Porém, a qualidade do exame depende do aparelho e da experiência do médico;
  • Ressonância magnética: usada em casos que necessitam de mais informações e esclarecimento. Interessante para mamas densas, mamas com cirurgia ou prótese. 

Como saber se a dor é do desequilíbrio hormonal?

Para chegar à conclusão de que a dor é derivada do desequilíbrio hormonal é preciso:

  • Descartar causa locais e extra mamárias;
  • Dosar hormônios, porém, nem sempre mostra uma relação;
  • Interpretação clínica feita pelo médico;
  • Identificar se a dor é cíclica, ou seja, se vem e vai, como na menstruação;
  • Perceber se a dor é acíclica, isto é, sem relação com a menstruação. Por tanto, se for acíclica, provavelmente não tem relação como desequilíbrio hormonal.

A reposição hormonal causa dor nas mamas?

SIM! Um dos possíveis efeitos colaterais da reposição hormonal é a dor mamária. Logo, os hormônios sintéticos geram dor, enquanto os bioidênticos também, caso sejam utilizados em doses elevadas.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Qual o problema da dor nas mamas?

Os principais problemas ocasionados pela dor mamária são:

  • Medo ser câncer;
  • A própria dor gera transtornos no dia a dia;
  • Limita a vida sexual, a prática de exercícios e até o sono;
  • Gera um estresse mental;
  • Pode indicar uma predominância de estrogênio, ou seja, muito estímulo nas suas mamas;
  • Mesmo sem reposição hormonal, estimular o tecido além do normal gera maior risco para formar lesões.

Como lidar com a dor nas mamas?

  1. Saber que não é normal, mesmo que possa ser frequente; 
  2. Analisar como a dor acontece, ou seja, tempo, frequência e intensidade;
  3. Buscar entender se a dor vem das mamas ou de fora delas;
  4. Fazer auto exame, ou seja, ter autoconhecimento do seu corpo;
  5. Realizar exames de imagem, como mamografia e ultrassom;
  6. Se você usa hormônios, ou seja, anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal, fale com seu médico para ajustar a dose ou trocar a medicação;
  7. Se não usa hormônios, isso indica que há predominância estrogênica. Logo, você precisa ter maior cuidado e acompanhar a saúde;
  8. Mantenha uma alimentação anti inflamatória, isto é, natural e saudável. Para isso, reduza carboidratos simples, pois estes aumentam a insulina, ocasionando mais inflamação, mais dor e maior risco para câncer;
  9. Pratique exercício físico regular para aumentar as endorfinas, além de ajudar a perder peso;
  10. Consuma Ômega 3 ou tenha uma alimentação mais rica em peixes, linhaça, nozes e chia; 
  11. Reduza seu peso, pois gordura nas mamas e abdome inflamam, pioram a predominância estrogênica e formam mais estrona, o que aumenta o risco para doenças.
COMO LIDAR COM AS DORES NAS MAMAS NA MENOPAUSA?

Conclusão 

Resumindo, qualquer dor indica um tipo de transtorno que deve ser averiguado.

Sendo assim, a dor crônica nas mamas, além do enorme desconforto ainda gera o medo da possibilidade de câncer.

Portanto, se você está sofrendo com esse problema, cuide da sua alimentação, faça o autoexame e consulte o médico regularmente para acompanhar o surgimento de qualquer problema e acabar com esse desconforto.

Basta seguir o passo a passo acima para lidar com a dor nas mamas, encontrar as causas e resolver o problema.

Não deixe para amanhã!

Busque a solução hoje mesmo e viva mais feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *