COMO DEIXAR DE SER “TODA DOLORIDA” NA MENOPAUSA EM 2020

Você sente dores no corpo todo? Nos músculos, nas articulações e até na gordura?

Mesmo deixando de fazer várias coisas essa sensação não passa, persiste por anos e nada resolve?

Se você se sente toda dolorida na menopausa, esse artigo é para você! 

Aprenda de uma vez por todas a como deixar de ser toda dolorida na menopausa!

Dê um basta e conquiste um corpo sem dor!

COMO DEIXAR DE SER TODA DOLORIDA NA MENOPAUSA EM 2020!

O que a medicina diz sobre o que causa essas dores?

Quando a mulher chega ao médico com a queixa de sentir várias dores pelo corpo todo, o diagnóstico é feito por exclusão. Ou seja, quando esse quadro apresenta causas desconhecida, dá-se o nome de fibromialgia.

O que é fibromialgia e o que causa?

Esse nome está cada vez mais comum na vida das mulheres na menopausa. Logo, a fibromialgia é caracterizada pelo quadro de dores no corpo todo com causa desconhecida.

Sendo assim, dentre os diversos sintomas associados, os principais são:

  • Cansaço crônico;
  • Dor abdominal;
  • Memória ruim;
  • Má concentração;
  • Dormência;
  • Formigamento;
  • Palpitações;
  • Dor pélvica;
  • Rigidez muscular;
  • Diarreia;
  • Constipação.

Você sente um ou vários desses sintomas com frequência?

Já foi diagnosticada com esse problema?

Como a medicina trata a fibromialgia?

Uma vez que a origem das dores é desconhecida, a medicina se limita a tratar as consequências e não as causas.

Portanto, os tratamentos mais prescritos são:

  • Fisioterapia;
  • Massagem;
  • Relaxamento;
  • Terapias cognitivo comportamentais;
  • Analgesicos e relaxantes musculares;
  • Antidepressivos, como Amitriptilina e Fluoxetina;
  • Indutores de sono, como Zolpiden;
  • Inibidores de ansiedade, como Lorazepan;
  • Anticonvulsivantes, como Gabapentina.

Mas então, qual a melhor solução para combater a dor fibromiálgica?

Como deixar de ser “toda dolorida” na menopausa?

Saiba que, para sair dessa situação é preciso sair da zona de conforto. Tenha em mente que os fatores genéticos não são determinantes de você tomar as decisões e atitudes corretas. 

Por isso, não adianta se consultar com diversos médicos diferentes. 

É preciso tratar as causas e cortar o problema pela raiz!

Portanto, as principais mudanças que você precisa começar o mais rápido possível são:

  • Sedentarismo: faça exercícios físicos DIARIAMENTE;
  • Ansiedade: tome as rédeas das suas emoções e aprenda a controlar a ansiedade. Para tanto existem incontáveis conteúdos no YouTube que podem te ajudar nesse processo.
  • Sono: ter uma rotina de higiene do sono é imprescindível para dormir bem e isso você também pode aprender com vídeos no YouTube.
  • Imunidade: sono de qualidade, alimentação adequada e exercícios físicos vão te ajudar a melhorar o sistema imunológico e diminuir a sua suscetibilidade à infecções por vírus. 

Além disso, tenho uma dica que considero essencial! 

Isso é fundamental para reduzir todas as suas dores!

Faça uma alimentação anti inflamatória natural! Esse é o grande segredo!

Para isso:

  • Reduza ao máximo ou exclua os alimentos com glúten;
  • Não tome leite de vaca;
  • Evite ao máximo soja, milho e amendoim;
  • Exclua os carboidratos da indústria, ou seja, todos os produtos refinados;
  • Elimine açúcares, refrigerantes e doces; 
  • Coma verduras e legumes variados;
  • Hidrate-se adequadamente.

Resumindo, como dizia a minha avó: “Não morra pela boca!”. Logo, uma boa alimentação é uma ferramenta poderosa para que você deixe de ser “toda dolorida” na menopausa.

COMO DEIXAR DE SER TODA DOLORIDA NA MENOPAUSA EM 2020.

Conclusão

Como na maioria dos casos, grande parte da resolução do problema depende de você!

Quão grande é a sua força de vontade e o seu desejo de melhorar?

Sendo assim, com ações simples e consistentes você pode virar o jogo e mudar de vida!

Dê um basta nas dores!

Não aceite viver refém de remédios!

Não admita deixar de fazer o que você ama por causa da dor que te limita!

Não se conforme com a fibromialgia!

Tenha em mente que as dores indicam que algo não está bem no seu organismo. Por isso, faça as escolhas corretas.

Adote as dicas acima, melhore a cada dia, seja consistente, persista e depois me conte o que mudou na sua vida e nas dores!

Aceita esse desafio?

Se você não tomar atitudes diferentes, nunca vai ter resultados diferentes! Não é?

Gostou desse conteúdo? Que tal, além de colocar tudo em prática, ajudar outras mulheres que sofrem com a fibromialgia?

Compartilhe esse conteúdo! Juntas e com as informações e dicas certas podemos nos dar apoio e lutar por uma vida feliz e com qualidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *