ESSA ESTRATÉGIA SIMPLES VAI TE AJUDAR NOS SINTOMAS DA MENOPAUSA

A menopausa ocorre para 100% das mulheres e pode trazer até 76 sintomas para você.

Acompanhe esse artigo e descubra uma estratégia simples que você pode fazer sozinha e melhorar os sintomas!

ESSA ESTRATÉGIA SIMPLES TE AJUDA NOS SINTOMAS DA MENOPAUSA!

Que estratégia é essa?

A estratégia é praticar o jejum intermitente. Ou seja, significa comer durante algumas horas e pausar outras horas.

Portanto, no geral, se dormimos 7 a 8 horas, sobram 16 horas para distribuir a alimentação. 

Tal estratégia, de permanecer períodos sem ingerir alimentos, faz com que as nossas células não precisem digerir nada e, assim, tenham tempo para se limpar e se livrar de impurezas tóxicas.

Qual o principal problema de comer o tempo todo? 

O hábito de comer tempo todo faz com que as células produzam mais resíduos. Por isso, tais substâncias precisam ser eliminadas para a manutenção da saúde celular.

Sendo assim, para que esse processo aconteça, é preciso que haja jejum.

Resumidamente, a célula produz energia a partir da alimentação e precisa de jejum para se limpar, eliminando resíduos (autofagia).

Quais as vantagens do jejum intermitente para a menopausa?

1- Melhora a resistência à insulina

Como sabemos, a menopausa ocorre devido à falência hormonal, o que causa resistência à insulina. 

Portanto, o jejum não ativa a insulina e, assim, contribui para diminuir a sua concentração no sangue. desta forma, melhora a resistência à insulina e reduz o risco para diabetes.

2- Protege as células cerebrais (autofagia celular)

A falta hormonal decorrente da menopausa piora a memória, a atenção, o foco e a concentração. 

Por isso, a menopausa traz maior risco para demências, o que é gravado pelo calorão.

Sendo assim, o jejum contribui para o processo de limpeza celular e, com isso, reduz as chances para doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

3- Estimula a proteína da juventude – SIRT

Estudos realizados em mamíferos concluíram que a proteína SIRT retarda o envelhecimento. 

Tal proteína é estimulada pelo jejum e, assim, ajuda a reduzir os níveis de glicose e insulina, o que reduz a resistência à insulina e diabetes.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

4- Produz autofagia celular

A autofagia celular é o processo de limpeza celular. Logo, quanto mais comemos, mais lixo se acumula no interior das células.

Por isso, o jejum reduz os casos de doenças crônicas e degenerativas, como diabetes, cânceres e doenças cardiovasculares.

5- Ajuda a reduzir a inflamação

Diminuição de hormônios na menopausa gera redução da ação antiinflamatória.

Portanto, o jejum melhora a resistência à insulina, processo que gera acúmulo de gordura e inflamação crônica. Logo, passar horas sem comer reduz dores gerais no corpo, já que não há picos de insulina.

6- Estimula hormônio GH

A prática do jejum intermitente estimula o GH (hormônio do crescimento). Tal hormônio ajuda a aumentar a massa muscular, o que diminui na menopausa. 

Logo, a perda de massa muscular deixa o metabolismo mais lento, contribuindo para o aumento de peso. Sendo assim, o estímulo do GH através do jejum ajuda a acelerar o metabolismo e, por consequência, ajuda a emagrecer.

Como fazer o jejum intermitente

Há várias maneiras de realizar o jejum intermitente. Por isso, vou ensinar 3 protocolos para que você escolha aquele que se adéqua melhor a sua realidade. Sendo assim, a restrição é para alimentos sólidos.

  • 24/24 horas: 1 dia em jejum;
  • 16/8 horas: 16 horas em jejum;
  • 12/12 horas ou 14/10 horas: 12 ou 14 horas em jejum.

Como se alimentar durante e depois do jejum intermitente na menopausa

DURANTE O PERÍODO DE JEJUM

  • São livres: água, café e chás;
  • Adoçante estévia.

APÓS O PERÍODO DE JEJUM – COMIDA

ESSA ESTRATÉGIA SIMPLES TE AJUDA NOS SINTOMAS DA MENOPAUSA.

Conclusão 

Para adotar um estilo de vida mais saudável, vale a pena criar o hábito do jejum progressivamente.

Como vimos, as vantagens são inúmeras!

Além de ajudar em vários sintomas da menopausa o jejum intermitente contribui para aumentar a massa muscular e melhorar a memória. Também é importante para reduzir gordura, cânceres, diabetes e inflamação crônica.

Comece amanhã mesmo a praticar o jejum intermitente e compartilhe esse conteúdo para que mais mulheres conheçam essa estratégia!

Agora, tudo depende de você!

3 Comentários


  1. Olá Dra Vanderleia,
    Hoje baixei um aplicativo para começar a fazer o jejum intermitente e que incrível recebi seu e-mail sobre o vídeo que aborda esse tema, estou no caminho certo! A menopausa chegou tem uns 5 anos e o aumento de peso, inchaço abdominal sem falar em sintomas físicos e emocionais. Comecei a reposição hormonal fazendo o uso do implante durante 03 anos, e de 02 anos pra cá passei a fazer o uso de remédio e tem um mês que não estou fazendo reposição tentando melhorar através da alimentação e atividade física (ainda não coloquei em prática pois estou cansada, sem energia). Espero que o jejum intermitente me traga um alívio.

    Responder

  2. Adoro seus vídeos, a forma como explica, aprendo muito com eles.
    No meu caso entrei na menopausa à 2 anos, sofro muito com o calor, a mi ha médica nao aconselha tomar medicação devido a ter tido um problema no útero.
    O que me aconselha p.f
    Beijinhos

    Responder

  3. Amei…
    Muito obrigado.
    Me sinto uma mulher sem vida.
    Tenho mais de 70 sintomas isso veioi pra mim como um balde de água fria.
    Não imaginei quê iria sofrer tanto.
    Só tenho 40 anos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *