10 DICAS PARA EMAGRECER PELO INTESTINO

Você sabia que a saúde do seu intestino tem tudo a ver com emagrecer?

Por isso, agora vou te dar 10 dicas infalíveis para emagrecer pelo intestino e continuar firme no desafio #MagraEmCasa.

Em primeiro lugar, aproveite e compartilhe este artigo para que mais pessoas descubram que o bom funcionamento intestinal é essencial para perder peso.

10 DICAS PARA EMAGRECER PELO INTESTINO.

Sobre o seu intestino… 

O intestino é um órgão importantíssimo que mede entre 6 a 9 metros de comprimento. Além disso, possui 100 trilhões de bactérias em seu interior.

Desta forma, temos em nosso corpo cerca de 10 bactérias para cada célula humana. Entretanto, existem bactérias que são benéfica e necessárias e outras que são patogênicas, gerando sisfunções.

A princípio, temos 0% de bactérias quando estamos no útero. Assim, a primeira colonização ocorre durante o parto. Por isso, o parto normal é capaz de proporcionar uma colonização inicial mais saudável.

Em segundo lugar, somos colonizados através da amamentação, o que faz com que a saúde da da mãe seja tão importante para a saúde do bebê.

Disbiose: quando o intestino vai mal fica difícil emagrecer

Chamamos de disbiose quando há desequilíbrio entre bactérias benéficas e patogênicas. Portanto, quando a população de bactérias ruins aumenta demais sofremos vários danos em nossa saúde, incluindo a obesidade.

O que causa a disbiose?

A disbiose pode ser desencadeada, principalmente, por fatores como:

  • Consumo excessivo de alimentos ricos em carboidratos e processados, como farinhas e açúcares;
  • Baixo consumo de alimentos crus e naturais;
  • Uso frequente de anti-inflamatórios;
  • Utilização de antibioticoterapia, pois a medicação mata tanto bactérias do bem quanto as do mal;
  • Má digestão alimentos;
  • Abuso de laxantes;
  • Presença de agrotóxicos nos vegetais e de resíduos de antibióticos em carnes;
  • Estresse crônico.

Doenças associadas à disbiose

As toxinas geradas pela alimentação inadequada ativam nosso sistema imune. Como exemplo, temos o glúten (proteína presente no trigo, no centeio e na cevada) e a caseína do leite de vaca. Essas duas substâncias, quando ingeridas, se transformam em gluteomorfina e caseomorfina, que ativam o sistema imune e produzem efeitos ruins como:

  • Destruição da mucosa intestinal e, assim, gera hiper permeabilidade;
  • Síndrome do cólon irritável, o que prejudica as funções do cólon causando diarreias constantes e dores abdominais;
  • Aumento da carcinogênese (processo de formação do câncer), já que há maior estimulo de bactérias maléficas;
  • Maior produção de promotores tumorais, como as nitrosaminas ( compostos químicos cancerígenos);
  • Alterações do humor, depressão, ansiedade;
  • Manifestações alérgicas, rinite, sinusite, dermatite, bronquite;
  • Doenças auto imunes, lúpus (LES), artrite reumatoide;
  • Enxaquecas, fibromialgias, dores articulares;
  • Inchaço e retenção de líquidos;
  • Obstipação intestinal (prisão de ventre), diarreia, excesso de gases;
  • Estufamento, má digestão;
  • Fadiga crônica;
  • Falta de concentração.

Enfim, a disbiose traz inúmeros problemas de saúde, desconfortos e ainda estimula o desenvolvimento de doenças mais graves.

O efeito das disbiose na obesidade

Nos obesos, as células adiposas inflamadas acumulam mais gordura. Além disso, o intestino hiper permeável facilita a migração de substâncias nocivas. Desta forma, os lipopolissacarídeos (LPS) presentes na bactérias agem como toxina e causam inflamação.

Por sua vez, a inflamação gera disfunções dentro das células, forçando o corpo a armazenar energia na forma de gordura. Sendo assim, obesos tem mais LPS no intestino, o que confirma que a disbiose é um fator causal para o aumento de peso e para a dificuldade em emagrecer.

Emagrecer pelo intestino: estudo científico com transplante de fezes

Para que você tenha noção da importância do intestino no emagrecimento é interessante saber que alguns estudos científicos avaliaram o transplante de fezes de ratos gordos para ratos magros, e vice e versa. Como resultado, encontraram que:

  • Os ratos gordos transplantados com fezes de ratos magros emagreceram;
  • Já os ratos magros transplantados com fezes de ratos gordos engordaram.

Tais achados evidenciam a importância da flora intestinal adequada para a manutenção do peso e emagrecimento. Por isso, tratar a disbiose é fundamental.

FIQUE ATUALIZADA!

Cadastre o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Fique tranquila, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Por que o intestino é nosso segundo cérebro?

O intestino é considerado nosso segundo cérebro pois:

  • Tem 500 bilhões de neurônios;
  • Produz 30 tipos de neurotransmissores;
  • 70% do sistema imune está no intestino;
  • As bactérias intestinais influenciam na produção do cortisol. Tal hormônio está ligado ao nosso nível de estresse e, através do nervo vago, carrega emoções e sentimentos, que também impactam no intestino. Por isso, quando ficamos muito estressadas com algum acontecimento sentimos dor de barriga e temos até diarreia. Você já se sentiu assim?
  • Produz dopamina, relacionada ao prazer;
  • Produz serotonina, hormônio que interfere no humor , felicidade e depressão;
  • Assim, se o intestino vai mal, pode diminuir os níveis de dopamina, o que leva à compulsão alimentar;
  • Por sua vez, a diminuição de serotonina gera baixa autoestima, depressão e ansiedade.

Em resumo, há grande conexão entre o sistema nervoso do nosso intestino e o nosso sistema nervoso central.

10 Dicas e cuidados para emagrecer pelo intestino

  1. Evite uso de remédios, pois eles causam disbiose – assim, use apenas quando necessário: antibióticos, anti-inflamatórios, laxantes, remédios que bloqueiam a acidez do estômago;
  2. Exclua ou evite ao máximo alimentos que lesam o intestino – ou seja, aqueles que contém glúten e o leite de vaca;
  3. Elimine adoçantes artificiais – sacarina e sucralose;
  4. Coma alimentos com fibras, que são pré-bióticas – a banana verde, por exemplo, tem fibras que não são digeridas pelo intestino delgado. Assim sendo, essa fibras sofrem fermentação no intestino grosso e ajudam a nutrir as bactérias do bem;
  5. Ingira alimentos fermentados – pois eles ajudam a compor a flora intestinal benéfica. Logo, kefir, kombucha, iogurte e missô são exemplos;
  6. Alimente-se de forma saudável e bem variada;
  7. Beba bastante água diariamente;
  8. Reduza o estresse – para isso você pode tentar meditação e yoga, além de manter uma agenda de tarefas organizadas para programar seu dia a dia;
  9. Pratique exercício físico diariamente;
  10. Reduza o consumo de álcool – porque ele lesa a mucosa intestinal.
10 DICAS PARA EMAGRECER PELO INTESTINO
EMAGRECER DE FORMA DEFINITIVA PELO INTESTINO.

Conclusão 

Como vimos, o intestino pode ser considerado o grande responsável pela manutenção da saúde. Portanto, o acúmulo de substâncias nocivas ao intestino afeta o equilíbrio da microbiota intestinal. Com isso, as bactérias nocivas proliferam em grande quantidade, gerando hiper permeabilidade intestinal. Assim, muitas moléculas nocivas, que não deveriam conseguir entrar no nosso corpo, conseguem passar pelas paredes intestinais dando origem a uma série de doenças.

Agora que você tem essas informações, faça uma autoavaliação?

Você não consegue emagrecer e sente os desconfortos que listei acima?

A solução é começar a tratar melhor do seu intestino, consumindo alimentos de qualidade e variados. Afinal, o que comemos serve de combustível para o funcionamento do nosso corpo. Sendo assim, se vivemos ingerindo combustível de má qualidade, uma hora nosso organismo deixa de funcionar corretamente.

Ter saúde depende diretamente do tipo de alimento que chega até seu intestino!

Combater a disbiose depende de você!

1 comentário


  1. Parabéns!
    Essas informações são significativas, para nossa saúde.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *